Bebidas falsificadas, por conterem mais metanol, representam risco aos olhos

O DIA

Rio – O consumo de álcool deve ser uma preocupação, sempre, ainda mais no Carnaval, quando excessos são cometidos. Mas não basta controlar a quantidade ingerida: é preciso também ter atenção à origem do produto. Bebidas falsificadas podem, entre outros males à saúde, prejudicar a visão, levando até à cegueira.

O consumo de álcool de procedência desconhecida pode causar doença chamada neurite óptica — lesão no nervo óptico que pode levar à perda irreversível da visão. A doença ficou conhecida na novela ‘Amor à Vida’, em que o personagem César (Antônio Fagundes) ficou cego após ingerir uísque com substâncias tóxicas.

O oftalmologista do Instituto Penido Burnier, em Campinas (SP), Leôncio Queiroz Neto, explica que bebidas ‘batizadas’ podem afetar o nervo, responsável por conduzir ao cérebro os estímulos luminosos captados pela retina. O mal pode afetar ainda pessoas que sofrem de alcoolismo.

O especialista lembra que o máximo de metanol permitido nos destilados pela legislação brasileira é 0,25ml/100 ml de álcool anidro, limite que geralmente é desrespeitado nas bebidas clandestinas.

Segundo ele, os sintomas podem incluir desde dor de cabeça, náuseas, vômitos e queda na visão de contraste até cegueira. O diagnóstico é feito pela fundoscopia, que avalia o fundo do olho.

TRATAMENTO É COM INJEÇÕES

O especialista afirma que o tratamento depende da avaliação de cada caso, mas geralmente são aplicadas injeções de corticoide para reduzir a inflamação do nervo óptico. “Mulheres afetadas pela neurite óptica têm o dobro de chance de ter esclerose múltipla quando comparadas à população masculina”, disse.

A recuperação pode levar dois meses. Um dos efeitos colaterais é a queda da visão de contraste e de cores, mesmo nos casos em que a exposição ao metanol foi pequena. “Nas exposições mais intensas as lesões causam perda visão”.

A oftalmologista Andrea Barbosa, diretora-médica da Clínica de Olhos São Francisco de Assis, lembra que análises laboratoriais podem identificar a presença de substâncias tóxicas no organismo do paciente. Segundo ela, danos à visão causados por intoxicação podem ser reversíveis, se diagnosticados em fase inicial.

Fígado e pâncreas

Bebidas alteradas e sem registro não prejudicam apenas a visão. Luiz Roberto Fernandes, clínico geral do Hospital São Francisco na Providência de Deus, alerta que estes produtos podem causar sérias lesões no fígado e no pâncreas (hepatite alcoólica e pancreatite).

Segundo ele, os principais sintomas são dor de cabeça, náusea, vômito e dor abdominal. “São sinais mais intensos do que na ressaca e que não melhoram analgésico”, alerta, acrescentando que a recomendação é procurar o hospital. “O paciente é submetido a hidratação venal. Por exame de sangue é possível ver se há intoxicação”.

Luiz Roberto lembra que pessoas que não estão acostumadas a beber podem não perceber o gosto da bebida adulterada. “Não se deve beber em qualquer lugar na rua e nos blocos”, alerta.

Fonte:O dia

Write a comment:

*

Your email address will not be published.